titulo texto site

A+ A A-

Pastoral da Rede Jovem Cristã

Coordenação:
Janice Luiza de França
54 9108-3225
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Pastoral Vocacional

vocacao-1A Pastoral Vocacional é um trabalho desenvolvido com o fim de ajudar a despertar em cada cristão, a vocação para a qual é chamado como batizado, convidando principalmente os adolescentes e jovens a participar de encontros vocacionais.
O trabalho vocacional deve proporcionar espaço para reflexões em torno da vocação em geral, da vocação comum para todos os batizados, além da vocação ministerial própria a que alguns são chamados.
Ajudar a despertar, discernir, acompanhar, e cultivar as vocações é tarefa de todas as pastorais e serviços, que devem incluir este tema em seus textos e subsídios.
Sempre devem ser valorizadas todas as vocações, como o de ser mãe (segundo domingo de maio); a do sacerdócio (primeiro domingo de agosto); a de ser pai (segundo domingo de agosto); a dos religiosos e religiosas (terceiro domingo de agosto); a de ser catequistas (quarto domingo de agosto); a vocação dos leigos e leigas (último domingo do tempo comum, dia de Cristo Rei).
vocacaoA caridade é verdadeiramente o coração da Igreja, o amor é a chave de todas as vocações, no dizer de Santa Teresa de Lisieux: "Compreendi que a Igreja tem um coração, um coração ardente de amor, compreendi que só o amor fazia atuar os membros da Igreja; com-p0reendi que o amor encerra em si todas as vocações, que o amor é tudo".

Cabe a Pastoral Vocacional
- Cuidar de que as vocações sejam sempre lembradas nas preces dos fiéis; nas missas, nas celebrações, nas Horas Santas, no terço, nas celebrações do batismo, do crisma, do matrimônio, nos encontros, e nos retiros.
- Divulgar: orações vocacionais, Horas Santas Vocacionais, folhetos vocacionais, livros vocacionais e principalmente as Missas Vocacionais.
- Conscientizar os cristãos sobre sua responsabilidade pelas vocações; com palavras em conversas, com folhetos vocacionais, com visitas nos grupos de jovens e adolescentes, visitando as outras pastorais e principalmente conversando com o pároco para que haja a motivação das pastorais.
- Fazer-se sempre persente de todos os modos nas pastorais paroquiais, principalmente: na catequese, na pastoral do grupo de jovens, na equipe de liturgia, na equipe da crisma, na equipe de noivos, nos grupos de oração, nas capelas, nos grupos de reflexão, círculos bíblicos, nas escolas,
- Organizar grupos de famílias, para rezarem pelas vocações; para colaborarem financeiramente no seminário diocesano.
- Empenhar-se e organizar a hora santa vocacional; com a participação de pastorais, associações, movimentos e fiéis em geral e para os jovens
- Cuidar do dia mundial de oração pelas vocações., e do mês vocacional de agosto; principalmente com preces vocacionais
- Descobrir e encaminhar os vocacionados e as vocacionadas

Coordenação:
Lurdes Masiero
54 3461-1297

 

Pastoral Litúrgica

LiturgicaA Pastoral Litúrgica tem como objetivo animar a vida litúrgica por uma participação ativa, consciente e plena de todos nas celebrações litúrgicas, mediante uma preparação organizada.

Liturgia é antes de tudo piedade e vida. A palavra Liturgia vem do grego (laós = povo e urgia = trabalho, ofício) e significava originariamente um serviço ou trabalho público, especialmente religioso, na medida em que a religião no mundo antigo tinha um caráter eminentemente púbico.
Na Bíblia, a palavra liturgia era usada para significar os ofícios religiosos realizados pelos sacerdotes levíticos, no Templo de Jerusalém. Mais tarde, o cristianismo deu-lhe o significado próprio dos dias atuais, tornando-se um conceito religioso plenamente cristão.
Hoje, entende-se a liturgia como a atualização da entrega de Cristo para a salvação. Liturgia é o memorial de Cristo e da salvação, ou seja, a Liturgia torna presente, através da celebração, o acontecimento definitivo do Mistério Pascal. Pela celebração litúrgica o fiel insere-se plenamente nas realidades da sua salvação. Sendo, antes de tudo, "serviço do povo", a liturgia tem raízes absolutamente cristológicas. Cristo rompe com o culto puramente ritual e formal e torna a liturgia um "culto agradável a Deus" (cf. Rm 12, 1-2).

Pastoral Litúrgica é o serviço de animação da vida litúrgica, visando à participação ativa, consciente e plena da comunidade, para a obtenção dos melhores frutos espirituais. A liturgia bem celebrada leva as pessoas à plena vivência do Mistério Pascal de Cristo.

Por esta razão a primeira função da Pastoral Litúrgica é organizar a Liturgia que acontece em uma comunidade, através da:

Equipe litúrgica que deve ser responsável pela organização de todo o trabalho litúrgico da comunidade: missas, celebrações, horas santas, procissões, celebrações catequéticas, etc.

Equipes de celebração são as encarregadas de fazer acontecer a celebração; em sintonia com o pessoal da música e com o padre.

Equipe do ministério da música, responsável pela música nas celebrações; que deve conhecer bem e ensaiar os cânticos periodicamente com a comunidade.

A segunda função da pastoral litúrgica é a formação dos que fazem a liturgia e de toda a comunidade.

E em terceiro lugar compete a pastoral litúrgica a preparação das celebrações. "A celebração é o espelho da comunidade": quer dizer, uma comunidade organizada, funcional e acolhedora é refletida nas liturgias.

A Pastoral Litúrgica organiza-se tendo como referência os momentos fortes do Ano Litúrgico e os acontecimentos importantes da história e da vida da comunidade, a saber, em primeiro lugar, os Mistérios de Cristo Salvador, privilegiando o domingo, Dia do Senhor e dia da Ressurreição, com o devido realce para a Palavra e a Eucaristia. Seguem-se os mistérios da Virgem Maria, as festas dos Santos, especialmente dos Padroeiros, a oportuna celebração dos Sacramentos na vida da comunidade.

Por manifestar visivelmente a Igreja, a liturgia exige uma ação pastoral que se destaque dentre as outras. Com efeito, a Pastoral Litúrgica pela força do Espírito, articulada às demais pastorais, celebra a missão de Cristo no mundo e produz entre elas o elo sacramental com a oferenda de Cristo: "que Ele faça de nós uma oferenda perfeita" (Oração Eucarística III).

A Equipe de Liturgia tem a desafiante missão de animar e coordenar a caminhada litúrgico-pastoral da paróquia, suscitando ministérios litúrgicos de acordo com as necessidades da comunidade.

Evitem-se criatividades abusivas, experiências destoantes ou fora do contexto celebrativo. Recomenda-se que movimentos eclesiais não imprimam à liturgia as particularidades de sua espiritualidade própria e quem preside leve mais em conta o bem espiritual de toda a assembleia do que o seu próprio gosto. Empenhem-se os párocos em promover a atualização litúrgica permanente de seus fiéis, especialmente dos Agentes da Pastoral Litúrgica, cientes de que para a maioria dos fiéis a liturgia é a única forma de evangelização. É hora de investir pastoral e financeiramente na Liturgia.

Coordenação:
Carmem T. Baldasso
54 3461-1542

 

Pastoral do Batismo

batismo1O principal objetivo da Pastoral do Batismo é levar aos pais e padrinhos, o conhecimento do que é o Batismo, e qual o compromisso que através dele se assume com Deus e com a comunidade. É demonstrar que este sacramento não se resume apenas em batizar. É necessário vivenciar, testemunhar e ensinar filhos e afilhados a serem cristão autênticos e fiéis seguidores de Jesus Cristo,
Também tem o objetivo de conscientizar que no batismo, os padrinhos também são responsáveis pela formação dos batizados, tendo como princípio a educação na fé, e na vivência familiar. O padrinho e a madrinha são vistos como pais espirituais, pois assumem o compromisso de se responsabilizarem pela formação cristã do afilhado. Em caso da falta dos pais, os padrinhos assumem a educação cristã do afilhado, tendo como referência o princípio cristão. Devemos constantemente dar testemunho da vida, sendo renovado em nós, o objetivo cristão, e corajosamente dar testemunho do batismo.
Os temas trabalhados na formação de pais e padrinhos procura conscientizar e formar para o verdadeiro comprometimento que eles deverão assumir, diante da Igreja e de Deus.

Os batizados normalmente são celebrados no primeiro sábado de cada mês, sempre às 16 horas na Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe de Deus.

Em 2017 os batizados serão celebrados nos dias:

, 11 de novembro e 09 de dezembro

No ano de 2018 estão previstos batizados nas seguintes datas:

06 de janeiro   -   93 de fevereiro     -  03 de março     -   07 de abril

05 de maio       -   09 de junho        -   04 de agosto     -    25 de agosto

15 de setembro - 06 de outubro  --- 10 de novembro e 08 de dezembro    -   

 Coordenação:

Ione Migotto
(54) 3461.1627

O que é o Batismo

O Batismo é o primeiro dos três sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia. Pelo Batismo a pessoa torna-se verdadeiro filho de Deus e passa a fazer parte da família de Cristo, que é a Igreja e iniciando assim sua nova vida em Cristo. Na Crisma há a confirmação do Batismo, através dela o cristão recebe o Espírito Santo de Deus. Pela Eucaristia o cristão é alimentado no caminho da vida. O pão e o vinho, Corpo e Sangue do Cristo, dão sustento a todo seguidor de Jesus.batismo10

Quando Cristo enviou a seus Apóstolos por todo o mundo, disse-lhes: "Ide, pois, e fazei discípulos a todas as gentes, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" (Mateus 28,19). "O que crer e for batizado, será salvo; mas o que não crer, será condenado" (Marcos 16,16).

Batismo, do grego Baptisma quer dizer imersão, banho. Por isso trata-se de uma purificação feita com água que lava do pecado original e dá ao batizado uma nova condição de existência. Confere uma vida nova. Igualmente é o batismo que insere a pessoa na comunidade da Igreja. O Batismo é porta de entrada para a Igreja de Cristo. Sem ele o cristão não poderá receber validamente aos demais sacramentos.


Inscrição para o Batismo
batismo8As inscrições deverão ser feitas de preferência com duas semanas de antecedência, junto à secretaria paroquial, devendo ser apresentada a certidão de nascimento da criança, e comprovante do dízimo; caso já tenham feito o encontro preparatório, para pais e padrinhos em outra comunidade, ou ocasião, deverão apresentar o comprovante de participação. 

Caso seja de outra paróquia deverá trazer o parecer do pároco, ou da coordenação da pastoral do batismo. Se de outra diocese deverá ser apresentada a transferência da sua paróquia de origem.

Pais e padrinhos deverão participar do curso preparatório, sobre o significado do batismo e suas obrigações, dele decorrentes.

Na paróquia Mãe de Deus os cursos preparatórios aconteceram nas seguintes datas e horários em 2017

11 de novembro (sábado) às 09:00      -    07 de dezembro (quinta=feira) às 20:00h

Em 2018 serão realizados cursos de preparação para o Batismo nas seguintes datas;

06 de janeiro (sábado)   às 09:00 horas  - 01 de fevereiro (Quinta-feira) às 20:00hs;

03 de março  (sábado)    às 09:00 hoas   -  05 de abril  ( quinta-feira),,, às 20:00 horas

05 de maio   ( Sábado)   às 09:00  horas  -  07 de junho (quinta-feira)  às  20:00 horas

04 de agosto (sábado )  às 09:00 horas   - 23 de agosto (quinta-feira) às 20:00 horas

15 de setembro (sábado) às 09;00 horas - 04 de outubro ( quinta-feirea) às  20:00 horas

10 de novembro (sábado) às 09:00 horas - 06 de dezembro (quinta-feira) às 190k horas

Podem ser padrinhos, pessoas com mais de 16 anos completos, que sejam católicos e tenham sido crismados; tenham recebido a Eucaristia, levem uma vida de acordo com a fé e o encargo a assumido.


batiza0702A celebração do Batismo
São quatro as partes principais do rito batismal:
1. Acolhida: manifestada pelo "sinal da cruz" traçado sobre a fronte do batizando;

2. Liturgia da Palavra: faz-se a leitura de textos bíblicos relativos ao Batismo. Em seguida faz-se a homilia (mensagem) e as preces; ocorre, depois, a oração "do exorcismo" e "a unção com o óleo dos catecúmenos" no peito da criança. Estes dois gestos recordam, respectivamente, a libertação do pecado original e a luta pelo bem contra o mal;

3. Liturgia Batismal: começa com a "bênção da água" e com o diálogo entre pais, padrinhos e toda a comunidade sobre a: Renúncia a Satanás, repetindo-se três vezes o "renuncio" – Profissão de Fé, repetindo-se três vezes o "creio". Em seguida há a solicitação explicita do batismo e do nome a ser dado para a criança.
- Infusão da água com a fórmula trinitária Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, precedida do nome próprio.batismo6

Seguem-se então "os ritos pós-batismais":
- A unção com o óleo do Crisma, sinal do sacerdócio real de todo crente e de sua participação no povo de Deus;
- a entrega da veste branca e da vela, que o pai ou o padrinho acende no círio pascal, sinais da integridade e da luz da fé a ser professada;

4. Ritos de conclusão: exprimem-se com a recitação comunitária do "Pai Nosso" e com a "bênção" sobre os pais, padrinhos e comunidade, a fim de que todos se sintam renovados no compromisso de crescer até a maturidade da vida em Cristo.


Não batizar em casa
No passado, a prática do batismo em casa se justificava pela dificuldade da falta de sacerdotes para atender todas as comunidades.

As pessoas, então, sabendo que o batismo pode ser feito validamente por um cristão, que use água e a fórmula trinitária, realizavam a celebração nos lares. Quando o padre passava, meses ou anos depois, apenas registrava e confirmava o que já havia sido feito.

Hoje a situação mudou, especialmente com a facilidade dos meios de locomoção. Há, porém quem batize em casa e depois pede para batizar a criança na Igreja.

Ora, o batismo se recebe uma só vez. O sacramento do batismo é essencialmente comunitário e, por isso, deve ser feito na igreja. Somente em perigo de morte permite-se a exceção.


Porque batizar as Crianças

batismo5O costume de batizar as crianças começou quando os adultos, abraçando o cristianismo, queriam que também seus filhos participassem da comunidade e aprendessem, desde cedo, a conhecer e amar Jesus. Mais tarde a prática do batismo de crianças se tornou geral. A criança não recebe o batismo sem fé, porque ela é batizada na fé da Igreja, encarregada de educá-la no cristianismo através de seus pais e padrinhos.

O batismo de crianças não é um atentado à liberdade, porque a liberdade humana está sempre condicionada, e a criança, como nos demais níveis de vida, depende de seus pais a respeito da fé e do batismo.

Afinal, o batismo de crianças exemplifica melhor a gratuidade da salvação e o amor de Deus para com todos. Mais tarde, a mesma criança terá o momento oportuno de fazer a confirmação da fé por ocasião da crisma.
A Igreja recebeu dos apóstolos a tradição de administrar o batismo também às crianças. Assim, se tem a confirmação de que, no início da Igreja, desde o século II, havia o batismo de crianças, ainda que em raras ocasiões.

Recordemos que, no tempo da pregação apostólica, casas inteiras eram batizadas, o que nos leva a pensar que também as crianças recebiam o sacramento no lar cristão.

Evidentemente, o batismo realizado em crianças supõe uma catequese pós-batismal, para que a pessoa entenda a graça recebida e cresça em sua vida espiritual.


Batismo de outras igrejas
A Igreja católica reconhece:
Batismo válido com certeza

Batizam validamente:
Igrejas Orientais Ortodoxas;
Igreja Vétero-Católica;
Igreja Episcopal do Brasil (Anglicana);
Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB);
Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB);
Igreja Metodista.
Um cristão batizado numa delas não pode ser rebatizado, nem sequer sob condição.batismo10

Batismo válido, com ressalvas
Há diversas Igrejas nas quais, embora não se justifique nenhuma reserva quanto ao rito batismal prescrito, há, contudo ressalvas devido à concepção teológica que têm do batismo. Por exemplo, que o batismo não justifica e, por isso, não é tão necessário. Alguns de seus pastores, segundo parece, não manifestam sempre urgência em batizar seus fiéis ou em seguir exatamente o rito batismal prescrito. Também nesses casos, quando há garantias de que a pessoa foi batizada segundo o rito dessas Igrejas, não se pode rebatizar, nem sob condição.
Essas Igrejas são:
• Igrejas presbiterianas;
• Igrejas batistas;
• Igrejas congregacionistas;
• Igrejas adventistas;
• A maioria das Igrejas pentecostais (Assembleia de Deus, Congregação Cristã do Brasil, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Deus é Amor, Igreja Evangélica Pentecostal; O Brasil para Cristo);
• Exército da Salvação (este grupo não costuma batizar, mas quando o faz, realiza-o de modo válido quanto ao rito.


Batismo duvidoso que requer novo batismo sob condição
• Igreja Pentecostal Unida do Brasil;
• "Igrejas Brasileiras";
• Mórmons.


Batismo inválido e, portanto, é preciso batizar
Com certeza, batizam invalidamente:
• Testemunhas de Jeová (negam a fé na Trindade);
• Ciência Cristã (o rito que pratica, sob o nome de batismo, tem matéria e forma certamente inválidas. Algo semelhante se pode dizer de certos ritos que, sob o nome de batismo, são praticados por alguns grupos religiosos não-cristãos, como a Umbanda).

 

Pastoral da Saúde

pastoral saude

Vivemos hoje num mundo onde quase tudo tende a se tornar descartável, inclusive as pessoas. Quase ninguém mais quer saber de estar perto de um enfermo, de um idoso, principalmente. Apesar de todos os avanços conquistados nas diversas ciências, sobretudo na medicina, os doentes e idosos estão se tornando cada dia mais excluídos do convívio social.

Como cristãos que somos, precisamos ir ao encontro dessas pessoas que sofrem, para ajudar, oferecer amizade, fazer companhia, dizer uma palavra de conforto que as ajude a resgatar a esperança de dias melhores. É nisto que consiste o mandamento máximo de Jesus: "Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos ame".

São muitos os enfermos que somente com a presença de um Agente da Pastoral da Saúde, pela unção dos enfermos, recobram um pouco da sua dignidade de vida, já não se percebendo mais excluídos, esquecidos da sociedade e muitas vezes até da própria família. São muitos os marginalizados que se sentem melhor, menos excluídos, quando são tratados com um mínimo de solidariedade, amor, fraternidade

A Pastoral da Saúde é a ação evangelizadora do povo de Deus, comprometido em promover, preservar, defender, cuidar e celebrar a vida, tornando presente no mundo de hoje a ação libertadora de Cristo na área da saúde. Com base nas seguintes dimensões:
I – Solidária - Visa atender a pessoa integralmente, nas dimensões física, psíquica, social e espiritual. Sensibilizando a sociedade para a marginalização dos doentes, selando pela humanização do atendimento aos doentes
II – Comunitária – visa a promoção e educação para a saúde. Procura valorizar o conhecimento, sabedoria e religiosidade popular. Conscientizar a população sobre o seu direito a saúde, priorizando ações educativas e preventivas,
III- Político-institucional – Zela para que haja reflexão bioética, formação ética e uma política de saúde sadia. Participar das instâncias oficiais, para garantir o atendimento básico.

A Pastoral da Saúde está desempenhando o seu trrabalho  realizado através de um grupo de pessoas, que repassa conhecimentos às lideranças comunitárias, promovendo a saúde alternativa através de alimentos orgânicos, chás, pomadas e massagens. Realizando visitas a doentes e suas famílias, auxiliando se necessário até mesmo materialmente às pessoas com problemas de saúde, deficientes, idosos, crianças desnutridas, e exigindo atendimento básico de saúde por parte dos órgãos públicos, pois todos possuem direito a este atendimento.

Coordenação:

Neide Schäfer

54 - 3461.4068
Rosa Maria Spessatto
54 9988-0217