titulo texto site

A+ A A-

Zelador do Salão Paroquial

Tem por função básica zelar pela manutenção do salão Paroquial, providenciando sua limpeza e conservação, cuidando para que seu uso seja responsável, e estabelecendo períodos, para os quais possa ser utilizado, pelos movimentos, pastorais ou entidades

Zelador:
João Dotta
54 9135-6898

 

GAAV

gaav
Este movimento conhecido como Grupo de Apoio de Amigos Voluntários, tem como principal meta, conhecer as famílias, e ver suas condições e dar atenção especial a todas aquelas que apresentarem alguma dificuldade, financeira, ou problema de saúde, visando alertar as autoridades competentes, para que prestem o auxílio necessário; ao mesmo templo que dentro das possibilidades de recursos, presta auxílio financeiro.
Para melhor desempenhar o seu trabalho realizam quinzenalmente reuniões e visitas a famílias carentes, atendendo e média 8 famílias mensalmente, e fornecendo quando for possível, além de alimentos, medicamentos, roupas e até mesmo móveis, arrecadados junto a população. Mas sempre é feito o encaminhamento às autoridades competentes, para que as mesmas continuem recebendo a assistência necessária.
No total são atendidas anualmente mais de 30 famílias, as quais são visitadas pelos menos três vezes ao ano; da mesma forma é realizada periodicamente a visita aos idosos da casa de repouso Elisa Tramontina, para levar alegria e conformo.
Apoiam a Pastoral da Criança. Realizam encontros com as crianças e familiares em datas especiais. Reúnem-se quinzenalmente para espiritualidade, formação e planejamento. O grupo promove o Domingo Solidário, no 4º domingo de cada mês, arrecadando nas missas das 9 e 19h alimentos não perecíveis para serem doados às famílias necessitadas.
domingo solidario

Apoiam a Pastoral da Criança. Realizam encontros com as crianças e familiares em datas especiais. Reúnem-se quinzenalmente para espiritualidade, formação e planejamento. O grupo promove o Domingo Solidário, no 4º domingo de cada mês, arrecadando nas missas das 9 e 19h alimentos não perecíveis para serem doados às famílias necessitadas.

Coordenação:
Anderson Colognese  
54 9922.7620
andersoncolognese@

Cláudia Zwirtes

Tel: 54 9981.1844

 

Zeladoras de Capelinhas

Zeladoras-02
As Zeladoras de Capelinhas, tem por objetivo e missão:
- Testemunhar a fé e participar na vida da família e da comunidade. Lembrar às famílias os objetivos da devoção da Capelinha. Incentivar a oração e o encontro entre as famílias na paz, na boa vizinhança e na fraternidade.
- Zelar pelos objetivos da Capelinha, que é a devoção e a união das famílias, com Maria, a Mãe de Jesus. Cuidar para que a Capelinha passe de casa em casa de forma respeitosa e na fé, entregando-a, diretamente, a pessoas da família, não deixá-la na porta, em cima do muro ou de qualquer jeito
- Lembrar que todas as famílias podem receber a Capelinha. Sem obrigar, mas sempre convidar e zelar para que nenhuma família fique sem receber a Capelinha.
- Cuidar para que a caixinha das ofertas, esteja em bom uso para que as famílias possam fazer sua doação.
- Garantir a representação de uma Zeladora no Conselho de Pastoral da Matriz ou das comunidades e participar das reuniões do Conselho e de outros encontros quando convocadas e zelar para que o planejamento de pastoral seja feito e cumprido, com a participação de todas as Zeladoras.
- Empenhar-se para que todas as famílias recebam os livrinhos e a guirlanda da Novena do Natal e da Via Sacra na Quaresma, formando Grupos de Famílias para que todos participem, conforme programação de cada paróquia.
- Organizar com as famílias a oração do terço nos meses de maio e outubro. Convidar, sempre com alegria, as famílias para a missa nos domingos e dias santos na matriz e na missa mensal nas comunidades.
- Diante de dificuldades maiores, informar a Coordenação das Capelinhas ou o padre da paróquia para que, juntos, sejam encontradas soluções segundo os objetivos da devoção da Capelinha.
- Atualizar a relação das famílias que recebem a Capelinha e cuidar para que não fique parada mais dias nas famílias do que o estabelecido.
- Informar as famílias sobre a vida e a organização da paróquia, em especial, os horários de missas, as festas dos padroeiros e outras informações, entregando folhetos, subsídios da Comunidade paroquial ou da própria comunidade.
- Acolher as novas famílias de migrantes que chega à comunidade, oferecendo as informações necessárias e a possibilidade de receber a Capelinha de Nossa Senhora.
- Visitar as pessoas doentes ou em dificuldades, promovendo encontros de oração e comunicar aos ministros da Eucaristia e à Pastoral da Pessoa Idosa para o acompanhamento e atendimento.

Zeladoras-3As mais de 290 zeladoras de capelinha; por sua proximidade, tomam conhecimento das novas famílias que se estabelecem em seus bairros e comunidades, e tem por obrigação realizar as visitas acolhendo-as, procurando saber de suas necessidades e as convidando para participar da vida religiosa da comunidade, oferecendo a visita da Capelinha de Nossa Senhora.
ZeladorasQuando são realizadas as missões populares, nas comunidades as zeladoras, colaboram, conduzindo os missionários até as casas das famílias a serem visitadas. Também é de vital importância a sua colaboração em várias atividades, e inclusive, vendendo a rifa da festa dos padroeiros e na arrecadação das ofertas das famílias para a formação dos futuros sacerdotes. Para que permaneçam sempre em constante formação, são realizados encontros de formação espiritual, e para uma melhor convivência são realizadas também confraternizações.zel-cha-10

Coordenação:
Ivete F. Ducati
54 9964.6245

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Inês Armelin

54 3461.2653

 

 

Ministros da Eucaristia

minist-eucar-3(Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão)

São fiéis leigos autorizados, cuja missão é facilitar aos celebrantes a distribuição da Sagrada Comunhão em igrejas, capelas, hospitais, aos doentes nas casas e outros lugares, desde que o sacerdote não possa fazer isso. A Santa Sé alerta, porém, que o exercício desse ministério deve conservar o seu caráter supletivo e extraordinário, não dispensando os Ministros Ordinários (Bispos, presbíteros, diáconos) de fazer a sua parte.
Este ministério sagrado deve ser exercido por leigos que tenham uma vida cristã autêntica, sejam maduros na fé, e possam servir a Igreja. Além disso, o MESC deve ter uma boa formação doutrinária, pois pode também realizar a celebração da palavra, orientar as pessoas a quem leva a Eucaristia, etc. Ele deve ensinar e viver o que a Igreja ensina, especialmente em relação à Eucaristia e as condições para recebê-la dignamente. Isto exige do Ministro que ele conheça a doutrina da Igreja, especialmente a fundamentação dogmática, moral e sacramental.
Os MECE devem, na medida do possível, realizar estudos de doutrina: estudar os documentos da Igreja, as encíclicas e cartas dos papas, o Catecismo, o Código de Direito Canônico, etc.
É importante que o Ministro conheça os documentos; especialmente os referentes à Eucaristia, afim de exercer retamente esse ministério. Os Papas sempre falam da Eucaristia, pois ela é "o centro da vida da Igreja" como disse João Paulo II na encíclica "Ecclesia de Eucharistia"
De especial importância é que os ministros estudem a Instrução da "Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos", "Redemptionis Sacramentum", "sobre algumas coisas que se devem observar e evitar acerca da Santíssima Eucaristia". Esta Instrução foi preparada por determinação do Papa João Paulo II em colaboração com a "Congregação para a Doutrina da Fé" e o mesmo Pontífice a aprovou no dia 19 do mês de março de 2004, para coibir os erros e abusos que ocorrem na celebração. Esta Instrução esclarece muitas dúvidas sobre a celebração da Eucaristia.
É também importante que o Ministro conheça a "Instrução Geral do Missal Romano", que disciplina a celebração da Santa Missa. Muitos procedimentos são feitos de maneira errada porque não se conhece ou não se observa essa Instrução. Por exemplo, não é lícito deixar que cada fiel se sirva da Eucaristia sem que haja um Ministro a distribuí-la. A Eucaristia deve ser entregue a cada comungante e não apenas deixada sobre o altar à disposição.
Outras orientações são dadas pela Igreja em outros aspectos como a distribuição da Eucaristia na mão dos fiéis; o comungar de joelhos, o ajoelhar no momento da Consagração. Esses documentos podem ser encontrados no site do Vaticano (www.vatican.va).
Por outro lado, o MESC, como um agente da Igreja, precisa conhecer a doutrina católica de maneira ampla. O nosso povo católico é carente do conhecimento dessa doutrina, e por isso é levado para outras comunidades eclesiais e seitas que não se coadunam com a fé católica. O MESC que vai às casas, precisa dessa formação para levar a verdade da Igreja ao povo. Para isso é fundamental que ele estude o Catecismo da Igreja, que é um manual completo da doutrina católica; como disse João Paulo II é "o texto de referência, seguro e autêntico para o ensino da doutrina católica" (Fidei depositum).
O MECE não é um mero "despachante rápido e prático". O amor às coisas sagradas deve tornar espontânea a observância de tais instruções.

Coordenação:
Manoel Menor Drech 54 3461.3669

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.